Ômega 3 puro não congela: MITO!

11 de julho de 2018
Por Mário dos Anjos Neto Filho, Farmacêutico e Bioquímico, habilitado em Análises Clínicas, Toxicológicas e Bromatológicas pela FCFRP-USP; Mestre e Doutor em Farmacologia pela FMRP-USP.

 

Alguns materiais que circulam na internet afirmam que “o ômega 3 puro, em cápsula de suplementos alimentares não congela”, como tentativa de ser esta uma aferição de qualidade.

Mas, infelizmente esta questão não é tão simplória assim; compreenda o porquê:

– Em primeiro lugar, é preciso dizer que todas as substâncias químicas (naturais ou artificiais) apresentam um ponto de fusão (temperatura em que uma substância passa do estado sólido para o líquido) e um ponto de ebulição (temperatura em que uma substância passa do estado líquido para o estado gasoso). No caso do ácidos graxo poliinsaturado, chamado de ômega 3 (Linolênico (9(Z),12(Z),15(Z)-octadecatrienóico, (w-3) 18:3n3), seu ponto de fusão é de -11ºC; Assim, se uma amostra de ômega 3 for submetido a uma temperatura menor do que – 11ºC, este óleo passará de sua forma líquida para a forma sólida, isto é, se apresentará congelado depois de certo tempo;

– Em segundo lugar, é preciso explicar que há uma diferença entre freezer e congelador domésticos: freezer e congelador possuem capacidades de refrigeração bem diferentes. Enquanto o congelador atinge uma temperatura média de -6ºC, o freezer é capaz de atingir temperaturas de -20°C. Então, se colocarmos uma cápsula de ômega 3 puro num congelador (a -6ºC), o produto permanecerá líquido; por outro lado, se colocarmos a mesma amostra pura no freezer (-20°C), o ômega 3 será congelado.

Mas, e o argumento de que o ômega 3 não deixa o salmão congelar-se nas gélidas águas dos polos? Alguns peixes que vivem em ambiente polar, tipicamente sobrevivem em mares nos quais a temperatura da água é abaixo de zero; normalmente a -1,9ºC (embora acima da camada de gelo a temperatura pode chegar a -65ºC). E, para não congelarem, a natureza os dotou de recursos biológicos diversos; um deles é possuir ácidos graxos poliinsaturados, como o ômega 3, que como vimos estará líquido até cerca de -11ºC para circular no sangue e ser processado no meio intracelular, ao invés de ácidos graxos saturados, como é o caso das gorduras, que podem ser sólidas aos 20ºC.

Adicionalmente, os peixes polares evitam o congelamento por meio de proteínas anticongelantes presentes em seus fluidos corporais. Existem vários tipos de anticongelantes biológicos na natureza. Estes podem ser encontrados em várias espécies de peixes, plantas, anfíbios e insetos e são agrupados em duas categorias distintas de substâncias: proteínas anticongelantes (AFP) e glicoproteínas anticongelantes (AFGP). Quando os primeiros cristais de gelo começam a se formar dentro do peixe, estas proteínas rapidamente se ligam a esses cristais, impedindo a adição de mais moléculas de água ao cristal de gelo em formação. Muitos artrópodes terrestres, incluindo aranhas e insetos, possuem proteínas anticongelantes potentes o suficiente para impedir a formação de cristais de gelo em temperaturas abaixo de –15ºC.

Então, se quiser saber mais sobre a qualidade do ômega 3 que você consome, é melhor pedir pelo laudo de pureza do produto ao seu fabricante ou distribuidor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *